RAMONA PARK BROKE MY HEART
2022 • RAP/HIP-HOP • BLACKSMITH/MOTOWN
POR GERSON MONTEIRO; 18 DE MARÇO DE 2022
6.7

RAMONA PARK BROKE MY HEART é o quinto álbum de estúdio oficial do artista Vince Staples. Tal como o seu álbum intitulado a ele próprio, Vince Staples, o cantor encontra-se numa jornada de autodescoberta e reflexão, pintando um retrato preciso da sua infância e como ela moldou a pessoa que é hoje.

Em termos de narrativa e conceito, o álbum é praticamente perfeito. O projeto aborda como a sua vivência em Ramona Park o deixou entorpecido. Insensível ao amor, insensível à morte, insensível a tudo, e isso é transmitido diretamente pela sua entrega e tom. Na faixa inicial “The Beach” temos uma breve introdução à experiência de Vince em criança, desde os problemas de dinheiro até às mortes que se iam acumulando à sua volta (“Growin’ up, ain’t had no lights unless it said to check the engine/Less we had to spark the wick, show somebody that we miss ’em”). Ter as luzes apagadas porque você não pode pagar uma conta de luz é um tropo comum em farrapos para histórias de riqueza. Nessas linhas, Vince contrasta com duas outras vezes em que as pessoas empobrecidas veem a luz: a luz do motor de verificação em um carro e o pavio de uma vela, frequentemente usado durante memoriais para amigos falecidos.

Agora, em relação a produção e diversidade musical, o disco é inferior em comparação a outros do cantor, como Big Fish Theory. Falta uma certa energia em Vince que era entregue nos seus trabalhos anteriores. Por exemplo, na faixa “Slide”, o conteúdo lírico é completamente ofuscado por uma batida monótona e descartável, parecendo que nem o próprio cantor está convencido de ter entregado o seu potencial, ou, nem sequer, vontade de atingi-lo. Assim, apesar da experiência lírica ser fenomenal, a indolência do rapper, torna a escrita obsoleta e menos interessante para o ouvinte comum.

Uma das raras exceções, em que todo o potencial do cantor é usado, é na faixa “When Sparks Fly”. Semelhante ao clássico de Nas, “I Gave You Power”, Vince faz um rap a partir da perspetiva de um relacionamento entre uma pessoa e uma arma personificada, que estão apaixonadas. O primeiro verso é ele falando com a arma, e o segundo, a arma se perguntando o que deu errado para seu dono ir para a prisão. A canção possui vocais de fundo pesados e com um tom desesperado, fazendo contraste com o tema lírico da música. A instrumentação é de uma intensidade e grandiosidade tão elevada, que somos transportados para o mundo do cantor de uma forma como nunca antes vista na sua discografia, trazendo o equilíbrio perfeito entre sonoridade e letras autobiográficas. 

Concluindo, em RAMONA PARK BROKE MY HEART, encontramos o artista no seu estado mais emocionalmente vulnerável. Independentemente de Vince Staples não se mostrar tão entusiasmado num ponto de vista musical, ele consegue demonstrar uma evolução em termos de narrativa e escrita, abordando tópicos de desilusão, trauma e crescimento de uma maneira única e raramente vista em outros rappers da atualidade.