Formula of Love: O+T=<3
2021 • K-POP/POP • JYP ENTERTAINMENT
POR MATHEUS JOSÉ; 24 de NOVEMBRO de 2021
7.5

Em 2018, com “Whats Is Love”, uma de suas melhores músicas, o TWICE pergunta: “O que é o amor?” Naquela época, o grupo ainda explorava os limites líricos acerca desse tema que constantemente se repetia em todos os seus discos. De lá pra cá, muita coisa mudou, e se antes elas perguntavam, agora, elas respondem. Formula of Love: O+T=<3, o terceiro álbum de estúdio do TWICE, surge a partir daquilo que elas sempre abordaram em suas canções repletas de carisma e paixão: o amor.

Com os registros FANCY YOU e FEEL SPECIAL, ambos de 2019, elas atingiram um limite insuperável de qualidade e primor artístico, formando uma das discografias mais requisitadas do K-pop. Desde então, ao mesmo tempo em que buscam trazer interpretações aprofundadas sobre coisas mais simples, como as complexidades de uma relação amorosa, elas também tentam tornar isso algo universal. A linguagem proposta pelo grupo parte do chamado “conceito cute”, que no pop sul-coreano quer dizer visuais coloridos, vocais angelicais e composições mais afetuosas. Em um curto período de tempo, elas estavam presentes em todos os cantos do mundo juntas da onda hallyu. E após o lançamento do bem-sucedido Eyes Wide Open, o grupo lança o Taste Of Love, uma prévia do sucesso comercial que elas teriam nos Estados Unidos. Eis que então, a JYP — empresa responsável pelas atividades das nove integrantes — anuncia a primeira música do TWICE em inglês, confirmando que o novo comeback seria de fato mais focado no público internacional.

“The Feels”, lançada com antecedência, foi tiro e queda. A música se tornou a primeira do TWICE a figurar na tabela da Billboard Hot 100, estreando na posição #83, o que aos nossos olhos parece ser pouco, mas acaba sendo um baita acontecimento, principalmente se formos considerar as limitações de um girl group de K-pop e um nome que seja além dos já conhecidos BTS e BLACKPINK — dois atos que praticamente estão acostumados a alcançar grandes posições. Já a faixa em si, também ganhou um pequeno viral e vem cada dia mais crescendo nas plataformas, tudo de maneira orgânica, o que de certa forma, acaba diferenciando o sucesso dessa, para as canções de K-pop que também marcaram presença nas tabelas estadunidenses. Com ritmo pegajoso e uma letra pra lá de viciante, a canção ainda dispõe ganchos bem construídos, algo bastante conhecido do TWICE e que fica ainda mais notável no trecho: “Boy, I, boy, I, boy, I know / I know you got the feels”.

Seguindo no mesmo ritmo, as três primeiras canções que abrem o disco se revelam a melhor sequência, uma vez que são justamente nessas faixas onde o grupo conseguiu trabalhar bem a proposta de misturar aquilo que elas sempre fizeram em seus melhores singles, com algo novo, como o inglês experimentando em “MOONLIGHT” e “ICON”, ambas músicas com elementos retrô e toques refinados de melodias adocicadas e vocais aveludados. Embora seja possível notar um distanciamento proposital nelas, a temática presente na composição acaba servindo como um ímã que atrai e conduz o ouvinte para sentir a mesma atmosfera presente nos outros álbuns do grupo. Exemplo disso é a sensação de contemplação do amor presente no refrão de “MOONLIGHT”: “You and I / Dancing in the moonlight / Kiss you when the mood’s right”. Já “SCIENTIST”, apesar de abrir o álbum de maneira positiva e encabeçar a melhor sequência dele, como faixa título, ela acaba sendo uma das escolhas menos interessantes do grupo até então.

Quanto às outras escolhas, Formula of Love: O+T=<3 acaba apresentando vários erros sobre elas, inclusive, alguns que poderiam facilmente ter sido evitados. Ao começar pela enorme quantidade de faixas que, no geral, se mostram verdadeiros fillers, como “ESPRESSO”, “REWIND” e “CACTUS”, músicas de tom ameno e clima calmo que só servem para quebrar o ritmo apresentado no início, o que infelizmente, diminui o proveito que só uma boa e bem organizada tracklist poderia oferecer. Já na segunda metade do álbum, é possível notar a presença de 3 músicas orquestradas pela divisão do grupo — algo parecido com uma subunidade — porém, ainda dentro do contexto e do conceito trabalhado por elas em toda obra. Dessas faixas, apenas “PUSH & PULL”, com JIHYO, SANA e DAHYUN, parece funcionar.

Enquanto alguns grupos precisam mudar de conceito e até mesmo abandonar as suas características próprias para alcançar o mercado internacional, o TWICE consegue fazer isso sem esforço nenhum, sendo apenas quem elas sempre foram. E no final das contas, Formula of Love: O+T=<3 acaba sendo uma excelente apresentação do grupo para o público ocidental, ainda mais agora com um ótimo desempenho comercial e artístico, sendo reconhecidas como um dos melhores atos do K-pop a furar a bolha.