minisode 2: Thursday’s Child
2022 • K-POP/POP • BIG HIT
POR MATHEUS JOSÉ; 10 DE MAIO DE 2022
7.5

O TOMORROW X TOGETHER é um ponto de luz que brilha incansavelmente no K-pop. Depois de provocarem uma mudança estilística ao trazerem o pop-punk, que, atualmente, pode ser visto sendo replicado por outros artistas e grupos sul-coreanos, eles finalmente partem rumo a sequência de lançamentos que tem como objetivo principal aprofundar aquilo apresentado nos álbuns The Caos Chapter: FREEZE e The Caos Chapter: FIGHT OR ESPACE, ambos figurados entre os melhores de 2021.

Mas, diferente do que já haviam feito antes, em minisode 2: Thursday’s Child, o grupo se concentra em desenvolver uma narrativa que se mostra presente do início ao fim, funcionando perfeitamente como um descarrego sentimental puro e cheio de criatividade. Para isso, eles abordam os diferentes estágios do pós-término de um romance que foi capaz de causar ferimentos, os quais levam tempo demais para serem curados. Assim, além de expor tudo o sentem, o grupo também enfrenta o processo da cura e do restabelecimento emocional.

“Good Boy Gone Bad” surge com a força necessária para dividir a ideia sobre a visão de raiva que foi desenvolvida antes do sofrimento. “O amor é uma mentira, eu amei essa mentira”, cantam eles. Enquanto isso, toda a atmosfera se encaminha para um tom sombrio, em que tudo passa a ser comandado pela mistura irresistível de rock com o hip-hop, mais um caso de resgate dos arquivos da primeira geração, assim como fez o NCT DREAM em “Glitch Mode”. Porém, aqui, com uma diferença astuta, percebemos que o TXT prefere aderir muito mais ao rock, já que, a marca registrada deles passou a ser essa depois do gigantesco impacto causado ano passado com a canção “LO$ER=LO♡ER”.

“Opening Sequence” é a escolha perfeita para abrir um disco cujas emoções são retratadas à flor da pele. A música, que apresenta excelentes traços de algo que o The Weeknd faria em My Dear Melancholy, vai mais adiante do esperado: nela, o alto nível de produção e composição servem de destaque diante das outras faixas, que passam longe dos aspectos únicos encontrados apenas nela. “Trust Fund Baby”, por sua vez, mesmo sendo importante, infelizmente acaba tirando o ritmo incessante pelo qual somos apresentados, talvez, essa seja a faixa mais dispensável entre todas as cinco.

“Lonely Boy (The tattoo on my ring finger)” é centrada na consistência de um verso solo e um dedilhar de cordas que só acrescenta positivamente na ambientação acústica, ora tomada por um refrão contagiante, ora por modificadores vocais, os quais, não atrapalha em absolutamente nada nas vozes lindamente colocados a prova aqui. Por fim, “Thursday’s Child Has Far To Go” apresenta-se como a exemplificação perfeita sobre a forma em que o TXT consegue pairar por diferentes estilos. Do pop-punk já estabelecido, também vemos funcionar os sintetizadores e toda pegada retrô marcada por um synth-pop que pouco funcionaria em outros projetos que não este. Além disso, é nesta faixa onde a narrativa apresentada ao longo da obra é concluída com sucesso. “Estou ansioso pelos dias maravilhosos”, encerram eles partindo rumo ao estágio de aceitação e, talvez, quem sabe, a busca por um novo amor.

Distantes da força e do anseio por mudanças, em minisode 2: Thursday’s Child,  o TXT mergulha de profundamente naquilo que eles dominam perfeitamente. Apesar disso, é impossível não notar o quão este projeto é consistente e coerente se comparado aos demais lançamentos do K-pop em que apesar de tentarem, nenhum ato jamais irá conseguir estabelecer um alto nível de presença, atitude, experimentação sonora, visual e musical acerca dos gêneros e subgêneros do rock assim como TOMORROW X TOGETHER.