Dawn FM
2022 • POP • XO/REPUBLIC
POR GERSON MONTEIRO; 17 de JANEIRO de 2022
8.2
MELHOR LANÇAMENTO

E começamos 2022 com o lançamento de um dos artistas masculinos mais populares do mundo atualmente, Abel Tesfaye, mais conhecido artisticamente como The Weeknd. Após o estrondoso sucesso de “Blinding Lights”, o cantor apresentou uma personagem extravagante no seu antecessor After Hours, inspirada na atmosfera excêntrica dos anos 80. Dawn FM parece ser uma continuação do álbum antigo, quer em termos de som, quer em narrativa, mas, será que o artista conseguiu no novo projeto igualar (ou até superar) as expectativas criadas pelo seu primogénito?

Dawn FM é formatado conceitualmente como um programa de rádio, daí seu título, no qual Jim Carrey atuando como o apresentador de vários interlúdios falados, ao longo do disco, por exemplo, “Dawn FM”. A abertura do álbum mistura uma estação radiofónica oitentista com boas-vindas ao purgatório, um estado de castigo temporário que envolve um turbilhão de sensações e reflexões sobre o passado, não coincidentemente, Abel aparece idoso na capa.

Neste projeto, o artista usa e abusa dos sintetizadores, direcionando o ouvinte para um mundo completamente seu e uma jornada intergaláctica e nostálgica ao som de músicas inspiradas, na sua maioria, nos anos 80. Contudo, ao invés de apenas reciclar essa sonoridade, de uma maneira inautêntica, The Weeknd consegue tornar as canções inovadoras e clássicas ao mesmo tempo. Um dos maiores exemplos é “Less Than Zero”, um verdadeiro hino pop retrô, que integra instrumentos mais naturais como guitarra, em acompanhamento de sintetizadores, peças fundamentais da identidade artística (da personagem) do cantor.

Não é só Jim Carrey que contribui para esta viagem sonora! O famoso produtor musical Quincy Jones reflete sobre sua educação conturbada e como isso afetou seus relacionamentos com mulheres e filhos na faixa “A Tale By Quincy”. O interlúdio se liga a vários temas do álbum, já que Abel costuma se lamentar sobre relacionamentos que deram errado por conta de seu comportamento; não pequena parte devido à sua educação também.

Como parcerias musicais contamos com a participação de Tyler, The Creator e Lil Wayne, em “Here We Go… Again” e “I Heard You’re Married”, respetivamente. Talvez estes sejam os pontos mais baixos do álbum. Apesar das músicas em si serem interessantes, as colaborações não cooperam para aumentar o potencial delas, soando um tanto fora do lugar, principalmente Lil Wayne, o qual, por possuir um estilo próprio que não se adapta perfeitamente à proposta da canção, é ligeiramente ofuscado pelo brilho de The Weeknd.

A faixa final “Phantom Regret By Jim” é um poema falado por Jim Carrey com vocais assombradores de fundo de The Weeknd. O significado do poema é de auto reflexão com a voz de uma alma, contendo diversos versos fortes em relação ao céu (“Heaven”) como:

“And Heaven is closer than those tears on your face”
Heaven‘s for those who let go of regret”
Heaven‘s not that, it’s this / It’s the depth of this moment, we don’t reach for bliss”
“You gotta be Heaven to see Heaven

Jim arremata que o céu vem de dentro, e que o cantor só pode ser verdadeiramente feliz quando a paz for encontrada no interior. Portanto, você só pode ver o céu quando o encontra em si mesmo. Esta é a lição principal que o astro pop tira desta experiência purgatória.

Em conclusão, em Dawn FM, encontramos o artista no seu ápice, tanto em termos vocais como de produção, de maneira a exibir sua criatividade ilimitada e a puxar narrativas e sonoridades cada vez mais interessantes e experimentalistas. Tudo isto faz com que o álbum seja uma peça essencial na discografia de The Weeknd e no seu surpreendente crescimento artístico.