SOUNDX

#OPINIÃO: Mais do que uma mera injustiça, negar o álbum do ano à Beyoncé seria, na verdade, o maior erro na história do Grammy.

Apesar do extenso histórico de injustiças, a premiação deveria tomar mais cuidado dessa vez.
POPULARES AGORA
EM 03/02/2023

Assim como o Oscar, o Grammy também possui dezenas de erros cometidos ao longo de uma história conturbada e repleta de injustiças. Da menor à maior categoria, não faltam exemplos de vencedores que passaram longe de fazer jus aos prêmios concedidos em nome do “reconhecimento à excelência do trabalho e conquistas na arte de produção musical”.

Os casos recentes incluem a controvérsia das indicações de The Weeknd, que ficou de fora devido a questões contratuais; e a ausência de Fiona Apple com Fetch The Bolt Cutters na categoria de Álbum do Ano em 2021. Além disso, não há como não mencionar o descaso sofrido por nomes como Kendrick Lamar, que perdeu o prêmio de Artista Revelação para Macklemore & Ryan Lewis, em 2014, e o Álbum do Ano de To Pimp A Butterfly para 1989, de Taylor Swift, na edição de 2016.

Com Beyoncé, a situação é ainda pior. Apesar de ser um dos nomes mais indicados na história da premiação, a artista pouco desfrutou de vitórias nas categorias principais. O caso mais emblemático envolve o Álbum do Ano em 2017, quando Lemonade, um dos melhores e mais importantes discos do século XXI, acabou perdendo para 25, de Adele. A cantora, que já havia vencido a mesma categoria em 2012, fez questão de homenagear Beyoncé, uma de suas maiores inspirações. O momento ficou marcado na cultura pop.

Na cerimônia de 2015, Beyoncé também perdeu o álbum do ano para Morning Phase, de Beck. Entretanto, dessa vez, era firmado um debate sobre como artistas negros eram empurrados para fora das categorias pop. O debate esquentou ainda mais ao longo dos anos e agora, em 2023, parece disposto a reacender na opinião dos espectadores da premiação.

Renaissance, que se consagrou o melhor álbum pela crítica e um dos mais vendidos dos Estados Unidos em 2022, merece vencer todas as categorias que está concorrendo, entre elas, o famigerado Álbum do Ano. Pode parecer uma bobeira esperar algo positivo vindo de uma premiação conhecida por cometer vários erros. Mas, dessa vez, a situação foge do convencional até mesmo nas injustiças. Depois de tudo que Beyoncé passou nessa indústria, depois de tudo que ela entregou e não foi devidamente reconhecida, entregar o prêmio não seria apenas uma reparação, mas sim, um dever.

No mais, caso o pior aconteça e Beyoncé perca mais uma vez, o recado deverá ser enfático. Esta não será uma injustiça qualquer, será, sobretudo, um verdadeiro roubo que configura no maior erro na história do Grammy.

POPULARES AGORA

Leia mais #

plugins premium WordPress