Glitch Mode
2022 • K-POP/POP • SM ENTERTAINMENT
POR MATHEUS JOSÉ; 12 DE ABRIL DE 2022
7.5

O NCT Dream é uma das várias subunidades do NCT, um dos projetos mais interessantes do K-pop e que atualmente conta com 23 membros. Diferente dos outros subgrupos, o NCT Dream foi fundado com a intenção de comportar os seus integrantes até que eles atingissem 20 anos de idade. Contudo, com o sucesso da formação atual, em que Mark, Renjun, Jeno, Haechan, Jaemin, Chenle e Jisung conseguiram estabelecer um alto padrão de vendas, a SM decidiu abandonar o sistema rotacional, e, desde então, o NCT Dream passou a ser um grupo fixo dentro do universo apelidado de Neo Culture Technology. Em seus lançamentos, eles costumam explorar sons barulhentos e, muitas vezes, tomados pelo já conhecido experimentalismo do NCT.

Apesar de muito novos para o padrão de estreia de um grupo no K-pop, em 2016, eles conseguiram atrair a atenção do público como ninguém. No videoclipe da canção “Chewing Gum”, os sete integrantes apareceram no meio de cenários de cores pastéis, gomas de mascar e um visual que expressava a essência de ser jovem. De garotos se divertindo e aprontando enquanto cantam com a maior felicidade do mundo, os jovens artistas logo passam a ser rapazes maduros e cheios de expressão. Ao longo dos anos, o NCT Dream foi o grupo que mais soube trabalhar a juventude no K-pop, pois os mesmosnão apenas abordavam isso em suas músicas, mas como também viviam na pele tudo aquilo que cercava o tão importante período de descobrimento e amadurecimento de um adolescente.

No ano passado, depois de muita espera, finalmente pudemos conhecer o primeiro álbum completo deles. A espera foi tão grande que, somente na pré-venda, Hot Sauce atingiu a marca de 1,7 milhões de cópias vendidas. Tamanho sucesso fez com que rapidamente, o segundo registrodo grupo fosse planejado e lançado antes mesmo do lançamento anterior completar um ano. Dessa forma, Glitch Mode chega ao público superando o seu antecessor, com 2 milhões de vendas encomendadas e onze faixas que navegam na reafirmação absoluta de que o NCT Dream possui repertório e presençasuficiente para serem considerados peças importantes na composição do pop sul-coreano.

Parte deste impacto, deve-se à abordagem musical que o próprio NCT como um todo é capaz de oferecer. Quanto a isso, é possível notar uma certa inovação desenvolvida por eles em cada trabalho. Em 2021, por exemplo, a SM revisitou os arquivos da segunda geração para lançar “Favorite (vampire)”, do NCT 127. Agora, ao invés da segunda, o NCT Dream foi mandado diretamente para a primeira geração, na qual fizeram do hip-hop e do rock, a principal base de “Glitch Mode”, que conta com uma infinidade de arranjos complexos. A música começa com uma mistura de elementos noventistas que remontam o melhor aspecto do hip-hop no K-pop daquela época. Depois, passa por amarrações eletrônicas e, no fim, entre a emoção de vocais agudos estendidos por uma ponte fantástica. Tudo parece descansar aos ruídos estridentes de uma guitarra que muda o rumo de tudo apresentado no começo. É algo inexplicável e estranhamente bom.

Em outros momentos, é possível notar uma dedicação maior dos integrantes em servir vocais contrastantes ao ritmo fervoroso que eles abordam ao longo das faixas mais memoráveis desse projeto. “Teddy Bear”, por exemplo, é tomada por uma construção vocal e melódica extremamente tocante e confortável aos ouvidos. Nesta faixa, o R&B se torna o pilar principal, responsável por sustentar toda temática doce presente na letra, como no trecho: “Venha e deite-se ao meu lado / Esconda-se debaixo de um cobertor aconchegante, oh, garota / Tudo sobre seu próprio dia / Conte-me sobre isso, eu quero saber / Diga apenas para mim”.

Já “Fire Alarm”, surge ao estilo “Red Light” o f(x), porém, mais ajustada aos vocais masculinos que seguem à risca o som de sirene que de cara parece anteceder um sinal de emergência. “Arcade”, a melhor b-side, parte de uma construção perfeitamente pensada para ser o destaque absoluto. O mesmo acontece em “Saturday Drip”, outro excelente modelo de canção que funciona muito bem não apenas no contexto do álbum, mas como em tudo já testado pelo NCT Dream em outros trabalhos. “Better Than Gold”, apesar de não combinar com o restante da obra, ainda assim soa justa e bem produzida, principalmente, pela energia contagiante que caminha alinhada ao funky, cantando com bastante paixão.

No geral, mesmo recheado de boas escolhas, Glitch Mode parece funcionar menos que o Hot Sauce no sentido de aproveitamento. Aqui, é possível notar a presença de alguns fillers que atrapalham no ritmo do álbum, como as músicas “Drive”, “Never Goodbye” e “Rewind”. Apesar disso, podemos notar um êxito por parte do NCT Dream que nos mostra um potencial verdadeiramente interessante, mas que de certa forma, ainda assim poderia ter sido melhor.