“Mood Ring”
2021 • POP/ALTERNATIVO • REPUBLIC
POR LEONARDO FREDERICO; 18 de AGOSTO de 2021

Avaliação: 3.5 de 5.

Junto com o seu novo álbum, Lorde provocou a mudança mais drástica que ela já fez em sua carreira. Em seus dois primeiros discos, a cantora da Nova Zelândia sempre se mostrou apaixonada por cores escuras e tons sombrios, enquanto suas canções soavam como hinos perfeitos para serem tocados em quartos escuros. No VMA de 2014, antes de introduzir Taylor Swift, Lorde disse: “Ela não usa tanto preto quanto eu”. Todavia, com a chegada de Solar Power, o terceiro álbum que está com lançamento marcado para sexta-feira, 20, a cantora mudou totalmente tudo que vinha fazendo até então, optando por vestidos leves e amarelos, e não camisas pretas de gola alta. O disco é mais alegre, com uma pegada acústica e sofre com influências da natureza. Contudo, talvez, essa mudança soe agressiva demais e segue o caminho errado.

“Mood Ring” é o terceiro single que Lorde lança, seguindo a faixa-título do álbum e “Stoned at the Nail Salon”, duas as quais, apesar de não serem ruins em instância alguma, não se comparam com os lançamentos anteriores da cantora. Nos três casos, Lorde optou por abandonar quase que totalmente — mas não totalmente — os sintetizadores pesados e fortes, que a acompanharam desde o começo da década passada, por guitarras e violões acústicos, facilmente remanescentes de canções alternativas da década de 1990, ao lado de batidas (ainda) digitais e brilhos de estrelas cintilantes. Na letra, Ella parece ter deixado totalmente seu passado para trás (“Today it’s as dark as my roots” e “Don’t you think the early 2000s seem so far away?). De fato, o que veio no lugar é algo que tem personalidade, mas também que qualquer pessoa pode se apropriar. Em outras palavras, em “Mood Ring”, Lorde soa como qualquer outra pessoa menos como si mesma.