SOUNDX

"A&W"

2023 •

Interscope

Lana explora novo território em “A&W”, uma de suas músicas mais entusiasmantes desde de Norman Fucking Rockwell!
22UM1IM33313.rgb

"A&W"

2023 •

Interscope

Lana explora novo território em “A&W”, uma de suas músicas mais entusiasmantes desde de Norman Fucking Rockwell!
22/02/2023

“A&W” é o nome do segundo single de Lana Del Rey e marca uma transição da cantora para um lado mais experimental desde Chemtrails Over The Country Club e Blue Banisters, de 2021. Lana Del Rey narra uma anedota, que começa em sua infância inocente e sobe até a idade adulta, onde ela se torna uma viciada em sexo, considerando que o título da faixa é uma abreviação de “American Whore”. 

O primeiro lado da canção demonstra uma Lana mais vulnerável, abordando assuntos como a gordofobia da sociedade e abuso sexual e emocional nas relações. Num dos versos mais impactantes na sua discografia (“If I told you that I was raped / Do you really think that anybody would think / I didn’t ask for it? I didn’t ask for it / I won’t testify, I already fucked up my story”), a artista fala sobre a cultura do estupro ainda predominante na sociedade americana: como as pessoas defendem o estupro, falando sobre as roupas que a mulher veste e como ela parecia que “queria” e que foi culpa delas terem sido estupradas. O trabalho de Lana geralmente se relaciona com o assunto de um ponto de vista que romantiza o papel convencional das mulheres como dóceis, domésticas e submissas. Ela defendeu seu estilo de escrita alegando que há espaço no feminismo para permitir que as mulheres escrevam da maneira que ela faz em seu notório post no Instagram, “questões para a cultura”, sendo então a linha “fucked up my story” um reconhecimento da má reputação que acumulou como consequência da publicação de 2020.

O segundo lado mostra um lado mais caricato da cantora, insinuando chamar um ex-amor Jimmy para usar cocaína com ela, que é uma droga que costuma manipular as ações do cérebro, estimulando uma seção cerebral que alerta os prazeres sexuais. Assim, sua ambição é usar drogas para que o seu ex-cônjugesó possa fazer sexo – o que continua o tema de Lana buscando alegria no coito. Desta forma, é possível observar que os motivos mais prevalentes de uso de drogas, relacionamentos destrutivos com amantes, questões de autoestima, cultura americana  e nostalgia que reaparecem na discografia de Lana Del Rey são muito aparentes.

Musicalmente, ambas as partes são significativamente diferentes. A primeira é caracterizada por um indie folk alusivo a artistas dos anos 2000, como Sufjan Stevens, enquanto que a segunda é representada por um trap psicadélico, relembrando as origens da cantora, quando usava o nome Lizzy Grant, e até material anterior da cantora em 2017, com o Lust For Life, nomeadamente em músicas como “Summer Bummer” e “Groupie Love”, que incluem rappers famosos no gênero trap – A$AP Rocky e Playboi Carti. Conjugando as duas porções, a personalidade americana cria algo completamente único e diferente de tudo na sua discografia. “A&W” é uma expressão máxima da sua criatividade enquanto vocalista e produtora, criando um clima completamente assombrado e encantador, ao mesmo tempo, que nos eleva com a sua escrita imaculada, mostrando o porquê de ser citada como “uma das maiores compositoras vivas da América”.

Esse e qualquer outro texto publicado em nosso site tem os direitos autorais reservados. 

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS PUBLICAções

Assine nossa newsletter e receba nossas novas publicações em seu e-mail.

MAIS DE

plugins premium WordPress