SOUNDX

Poet | Artist

2018 •

SM Entertainment

9.0
Poet | Artist é a documentação do trabalho de uma vida que transformou o k-pop — JONGHYUN é a espinha dorsal de todos os solistas inseridos nessa indústria.
poet (1)

Poet | Artist

2018 •

SM Entertainment

9.0
Poet | Artist é a documentação do trabalho de uma vida que transformou o k-pop — JONGHYUN é a espinha dorsal de todos os solistas inseridos nessa indústria.
26/02/2023

Como qualquer figura onipresente, JONGHYUN é uma força contínua que parece não descansar de nos agraciar com a sua exuberância. Ele está em cada artista e grupo inserido no k-pop, ainda mais, nos que buscam independência artística; ele está na raiz dessa indústria, no seio musical e nas diferentes vertentes que se misturam, ano após ano; também está em cada fragmento de partitura, em cada letra pensada e executada com amor. Tudo, absolutamente tudo, tem pouco dele e ele está em um pouco de tudo.

Seria exagero afirmar que JONGHYUN é o artista masculino mais importante do k-pop caso ele não tivesse feito tudo o que fez. Enquanto membro do SHINee, o vimos explorar e acrescentar diferentes sentidos ao trabalho de inovação, cujo qual seus companheiros de grupo — TAEMIN, MINHO, ONEW E KEY — são constantemente referenciados por todos aqueles que conhecem e estudam a fundo a música pop sul-coreana.

A influência desses cinco rapazes começou muito cedo. Eles estrearam no final da década de 2000 e desde então, seguiram criando tendências e servindo de base para todos que vieram depois deles. Quem os viu nascer de perto, já imaginava que o k-pop não seria mais o mesmo dali em diante. Nesse contexto, cada integrante teve o seu destaque partindo das posições fixas na organização do quinteto. Mas JONGHYUN, de certa forma, já se destacava muito antes de seus colegas. Ele ficou rapidamente marcado como o membro perfeito de um grupo igualmente perfeito. 

JONGHYUN chamava a atenção pelos seus vocais penetrantes e algumas habilidades que, na época, muitos artistas desse meio eram impedidos de expor devido ao rigor das empresas. Além de tudo, a beleza e o carisma fizeram dele um exemplo único de como ser, em sua máxima essência, um idol.

Depois de muito tempo planejando, o artista iniciou a sua era de transformações quando estreou solo com o EP BASE, de 2015. Antes disso, a sua ocupação principal se voltava para o desenvolvimento lírico do seu portfólio recheado de riquezas. A bagagem sustentada por ele envolve dezenas de composições, colaborações com a SM Entertainment e faixas gravadas em diversos momentos antes e depois de surgir com um projeto solo. Um dos casos mais famosos dessa benfeitoria por de trás de grandes lançamentos, é a canção “Playboy”, concedida ao grupo EXO para fazer parte do álbum EXODUS, de 2015. 

Vários dos passos de JONGHYUN na construção de uma carreira sólida podem ser exemplificados nos seus diferentes álbuns. Em seu primeiro LP, She Is, de 2016, o artista mergulhou em melodias acessíveis e composições apaixonantes. Embora fácil de mastigar, o material ainda assim carregava uma abordagem bastante incomum no k-pop, principalmente, para solistas masculinos: sons solares, alegres e dançantes. Diferente deste, o intitulado JONGHYUN The Collection “Story Op.2”, de 2017, era focado em linhas suaves e vocais aparentes, passando por temas densos e reflexivos dos quais expuseram a incrível capacidade dele em compor com a alma. De forma muito característica, flutuando por campos musicais contrastantes como ninguém, JONGHYUN mostrava ser um nome extraordinário.

Poet | Artist, partindo dessa congruência de fatores que o caracterizava como uma mente fora da curva, torna a solidificar ainda mais a sua importância no k-pop. Se quando membro do SHINee, JONGHYUN buscava elevar o status do grupo ao lado dos seus companheiros, em carreira solo, podemos notar que a ideia seguia a mesma, porém, abrangendo uma área um pouco diferente.

Os trabalhos solo no k-pop são divididos em três categorias principais: 1) artistas que já estrearam como solistas; 2) artistas que se tornaram solistas mesmo sendo parte de um grupo; e, por fim, 3) artistas que viraram solistas após saírem dos seus respectivos grupos e empresas. Em todos esses casos, existe um elo que os une igualmente: a ausência de liberdade artística.

Claro, essa é uma característica geral no k-pop. Entretanto, o SHINee foi um dos grupos a mudar isso. Primeiro, eles passaram a fazer parte cada vez mais do processo criativo dos álbuns lançados. Na estreia deles, em 2008, o grupo já contava com composições próprias dentro do material, como é o caso das faixas escritas por MINHO. Após isso, todos álbuns e mini-álbuns lançados continham, pelo menos, mudanças estruturais proporcionadas por eles no conteúdo lírico.

Entretanto, no campo dos discos solos, não se via tanta liberdade — a não ser que fossem produções voltadas ao hip-hop, mas, no geral, isso era uma coisa definitivamente anormal. Novamente, o SHINee viria a mudar esta realidade. Mesmo ciente da capacidade dos integrantes em compor excelentes peças, a SM Entertainment atuava em contraposição da liberdade artística de seus artistas, assim com todas as companhias da época. Desse modo, surge a batalha de JONGHYUN contra os seus diretores e acionistas, algo que podia ser vista de fora da empresa, uma vez que ao lançar seus álbuns repletos de composições autorais, diferente do que geralmente acontecia ali, JONGHYUN sinalizava que sim, ele havia conseguido vencer o muro de limitações. Tais limitações deixaram de se estender até mesmo nos projetos da cantora BoA, ato feminino mais importante do k-pop.

Poet | Artist é a representação inata da vontade de JONGHYUN em desbravar o terreno da liberdade artística para artistas solo. Com produção refinada, sem os chavões típicos das produções de alta tensão, e composições inteligentes, com tom ácido e escrachado, o álbum remonta um aspecto que hoje é tratado com normalidade. Mas na época em que foi lançado, mesmo não sendo há meio século, tudo trazido aqui soava devidamente inovador e refrescante.

Ao conquistar um espaço digno de comportar as suas escritas ousadas, JONGHYUN também acrescenta mensagens importantes nelas. Em “와플 #Hashtag”, por exemplo, ele fala sobre a questão referente à invasão de privacidade, problema que se tornou comum no k-pop, onde fóruns, como o chamado Dispatch, diariamente fervilhavam as redes sociais com notícias sensacionalistas e, muitas vezes, falsas, alegando relacionamentos inexistentes e fofocas das quais, na proporção da fama, chegavam a atrapalhar a carreira das celebridades envolvidas. “Eles podem dizer tudo apenas com o olhar de alguém”, canta ele, denunciando as informações dadas sem confirmação e fonte pelos veículos da mídia. 

Já em “기름때 Grease”, JONGHYUN segue com o princípio inicial de impor sentidos abstratos em suas composições, dessa vez, debaixo de uma atmosfera sonhadora e de uma instrumentação fixada no future bass, ele descreve as suas memórias antigas como se fossem manchas de graxa em uma camiseta branca: “Manchas escuras de graxa / Elas não saem, assim como você / Manchas pretas em sua camiseta branca / Elas estão por toda parte / Isso me faz sentir doente”

Apesar de se dividir em momentos de sensibilidade emocional, Poet | Artist nunca perde o ritmo. Na contramão de álbuns divididos entre batidas aceleradas e canções cheias de calmaria, JONGHYUN era um grande dosador de melodias. Na faixa que mais se aproxima de uma balada, “Take The Dive”, ele não abandona a chave da diversão. Mantida por um instrumental borbulhante, apaixonado, ele canta: “Deixa eu me perder em seu mar”.

“Rewind”, baseada no future garage, expande ainda mais o universo inteligente construído por JONGHYUN ao longo da obra. Com vocais tomados por efeitos de reversão e reverberação, assobios, gemidos e letra falada em diversos idiomas — que causou o banimento dela nas rádios coreanas, inclusive — ele se debruça entre a sensualidade e a energia sonhadora instigada em outras canções do álbum. Dividindo o pódio entre as obras-primas dele, a faixa-título “빛이 나 Shinin'”, garante o seu brilho com arranjos eletrônicos e vocal acudido por melismas, marca registrada do artista.

Justapondo texturas que permeiam elementos do R&B ao jazz, músicas como “어떤 기분이 들까 I’m So Curious” e, principalmente, “Sentimental”, exibem a fluidez de JONGHYUN em criar ganchos dos quais conversam, constantemente, com as suas narrativas. O trabalho de produção torna-se, diante disso, um componente essencial na construção geral do álbum.

Com esse projeto, um verdadeiro documento que atestou o poder de JONGHYUN em possuir controle da sua arte, vimos a indústria musical sul-coreana revisar alguns de seus piores costumes. Na classificação de álbum póstumo, Poet | Artist quebrou diversas barreiras de gênero, estreou na principal parada dos Estados Unidos e fez isso antes que qualquer membro do BTS sonhasse alcançar um feito parecido. O impacto dessa verdadeira obra de arte, hoje, pode ser medido nos diversos lançamentos autorais da SM Entertainment e de outras empresas. Ao lado de Let´s Go To My Star, lançado por Lee Jung Hyun em 1999 e LISTEN TO MY HEART, que apresentou BoA ao Japão em 2002, Poet | Artist é um dos discos solos mais importantes na história do k-pop. 

Esse e qualquer outro texto publicado em nosso site tem os direitos autorais reservados. 

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS PUBLICAções

Assine nossa newsletter e receba nossas novas publicações em seu e-mail.

MAIS DE

plugins premium WordPress