It Won’t Always Be Like This
2021 • ALTERNATIVO/ROCK • POLYDOR
POR LEONARDO FREDERICO; 14 de JULHO de 2021
5.3

Em uma entrevista para o Apple Music, o baterista do Inhaler, Ryan McMahon, disse que a faixa título do álbum de estréia da banda pode ser interpretada de várias maneiras. Segundo ele, algumas pessoas olham a linha do título, “Não será sempre assim”, como um alívio, tendo em mente que tudo vai melhorar, outras temem a possibilidade de que tudo piore. “É fazer o que as canções devem fazer, ter um significado diferente para uma pessoa diferente, dependendo do ponto em que se encontram em sua vida”, disse ele. No entanto, embora na mente dos membros da banda seu disco de estréia seja algo poderoso e aberto à interpretação, na prática, It Won’t Always Be Like This soa lento, entediante e carente de personalidade.

É relativamente comum quando uma certa tendência estética se torna popular, várias bandas emergirem trabalhando sua arte em cima dela. E isto aconteceu fortemente na última década com uma popularização acelerada de gêneros alternativos por causa dos serviços de streaming. No entanto, com o tempo, essa determinada paleta sonora acaba se esgotando e It Won’t Always Be Like This parece ser uma vítima infeliz deste fenômeno. O disco vem com batidas alternativas que se misturam com pop e rock, mas apesar de não ser algo necessariamente ruim, é cansativo e desbotado. Isso porque o álbum nasceu depois de bandas como The 1975 e The Neighbourhood terem espremido esse som ao máximo, deixando quase nada de diferente sobrando. Desta forma, o álbum é maçante, monótono e sem nada interessante, com faixas que duram mais do que deveriam e letras que muitas vezes parecem apenas idéias soltas e inacabadas.

Grande parte de It Won’t Always Be Like This é apenas… medíocre. É o mesmo som que temos ouvido nos últimos anos. Embora não seja ruim ou mal produzido, por assim dizer, é algo que não tem um certo impacto sobre você. O melhor exemplo disso é “Slide Out the Window”, que soa totalmente plano, indiferente e sem sal. Enquanto isso, “My Honest Face” apresenta uma boa premissa, mas falha em linhas vergonhosas (“I could be Elvis on a Tuesday night / 1, 2, 3, 4, 5, alright” e “Baby, I’ll take you to an honest place / Darling, I just can’t find my honest face, my honest face”) e um som indistinto. Ou, veja “Who’s Your Money On? (Plastic House)”, que é a faixa mais experimental do álbum, mas que não tem mais de seis minutos de duração e claramente não consegue te manter entretido por tanto tempo.

Felizmente, há alguns bons cortes aqui. A abertura do álbum apresenta grandes vocais de Eli Hewson, que são trabalhados como se estivessem sendo tocados em uma grande arena. “Cheer Up Baby”, o single principal do álbum, apresenta passagens de sintetizadores mais distantes da curva normativa do disco e algumas letras são realmente boas e cativantes, as quais foram escritas pela banda como espécie de agradecimento para os seus fãs. “All you do / cheer up baby / You’re not on your own”, Hewson canta. Enquanto isso, “When It Breaks” tem uma tendência para os anos 80 e “Totally” é a música mais pop do disco, sendo uma canção muito cativante e memorável, principalmente por causa do gancho. E, de certa forma, todo o disco é minimamente agradável, o único problema de fato é que não se pode encontrar algo muito especial ou diferente nele. 

No entanto, o mais triste do disco é como você pode sentir que eles têm uma certa ambição e são de fato uma das bandas mais promissoras para os próximos anos, mas eles não podem desenvolver isso porque eles parecem presos ao que é tido como certo e seguro. Veja “A Night on the Floor”, faixa a qual os membros da banda revelam ter surgido de “todo esse tipo de loucura psicodélica”, mas o máximo que pode oferecer são alguns remixes de sintetizadores e cordas que conseguem mostrar apenas alguns solos um pouco mais marcantes. “My King Will Be Kind”, por outro lado, conta a história do ponto de vista de um incel. O começo da letra é muito bom, mas logo eles parecem desistir destes versos que contam a história em detalhes e se movem em frases curtas e apertadas. Ou ainda “Strange Time To Be Alive”, que poderia ter sido uma grande faixa, mas permaneceu apenas como um esboço doloroso. Finalmente, a trilha final, é apenas esquecível, eu não tenho nada a dizer sobre isso… eu acho. Tudo o que posso dizer é que esses garotos têm potencial e podem fazer grandes coisas. Eu só espero que eles façam.