SOUNDX

"sever the blight"

2023 •

Good Luck Have Fun

A novata hemlocke springs, dona da estonteante "girlfriend", retorna com a cativante "sever the blight".
hemlocke springs – ​sever the blight

"sever the blight"

2023 •

Good Luck Have Fun

A novata hemlocke springs, dona da estonteante "girlfriend", retorna com a cativante "sever the blight".
06/05/2023

“I heave a sighing breath / My cavity expands (Ha, ha, ha, ha)”, trecho disponibilizado pela produtora estadunidense alguns meses atrás, durante o sucesso espontâneo da faixa “girlfriend”, fora um dos que mais entusiasmou o público. Rapidamente, os comentários enchiam de pedidos para que a canção à qual pertencia essa parte fosse lançada, toda santa vez em que Spring postava uma nova publicação em sua conta do TikTok usando tal verso. Finalmente chegado o dia em que a jovem resolve atender a súplica de seus seguidores, “sever the blight” é anunciada como lead single de seu futuro (e ainda desconhecido) primeiro álbum de estúdio — acompanhada de um videoclipe de uma estética já muito vista, mas que, ainda assim, entreter quem o assiste pela nova roupagem que Hemlocke dá a esse estilo.

“Love is miles away / Will I still wait here?”, canta, bravamente, Springs no refrão, juntamente a uma batida electropop bastante animada. As diferentes camadas vocais se misturam efetivamente entre si, e os instrumentais eletrônicos crescem e ganham mais volume e maiores adereços quanto mais tempo passado ouvindo a música. Porém, inicialmente, tudo começa com Hemlocke cantando (com sua voz estando nua e crua) sobre o enclausuramento de seu verdadeiro “eu” num calabouço, expressando temor e angústia ao negar ao seu amor o conhecimento de quem realmente é, por trás de tanta superficialidade e fingimento.

Esse começo teatral, conquanto tenha sido uma escolha muito certeira, acabou sendo executada de maneira errada. A falta do tratamento vocal na voz de Hemlocke Springs denuncia a pouca habilidade que possui vocalmente, tirando um pouco da dramaticidade e desanimando o público a caminho do pré-refrão. A impressão que fica é a de que as coisas não vão acabar muito bem e que, infelizmente, veríamos acontecer o primeiro erro da artista, em formato de canção, ser cometido. Porém, essa parte não perdura por tempo o suficiente para condenar “sever the blight” a um final trágico. E, ligeiramente, o jogo muda a favor de Springs e se termina a faixa com um encerramento hipnotizante e o desfecho da história contada por Hemlocke.

Acabado de ouvir a faixa, sentimentos conflitantes disputam a vitória da disputa que decide de qual lado a opinião sobre “sever the blight” vai pender: para o lado ruim ou para o lado bom. Analisando tecnicamente, a canção possui uma série de erros que são meio difíceis de ignorar, o que faz a canção quase cair de nível e ficar na média, junto de outras faixas bastante esquecíveis. Porém, observando por outro ângulo, “sever the blight” é uma canção divertida e criativa demais para isso. Seria injusto demais considerar a faixa como mediana. Ela é perfeita para o que se pressupõe ser: uma diversão descontraída. Portanto, é um bom lançamento.

Esse e qualquer outro texto publicado em nosso site tem os direitos autorais reservados. 

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS PUBLICAções

Assine nossa newsletter e receba nossas novas publicações em seu e-mail.

going…going…GONE! prova ser digno do tempo que nele fora investido por conseguir suprir a necessidade do público por um material maior por parte de hemlocke springs e os fazer vislumbrar o magnífico futuro que aguarda a jovem.
plugins premium WordPress