If I Can’t Have Love, I Want Power
2021 • ALTERNATIVO/ROCK • CAPITOL
POR DAVI BITTENCOURT; 02 de SETEMBRO de 2021
7.5

Em If I Can’t Have Love, I Want Power, Halsey foge do pop mainstream que marcou grande parte de sua carreira e vira seu olhar a algo mais rock, o que faz ela entregar seu melhor álbum até o momento. Surpreendendo a quem não esperava algo do nível sendo lançado pela artista.

O gênero já não é algo desconhecido por ela. Ao analisar sua discografia, percebe-se, que mesmo em quantidades pequenas, o rock já esteve presente nela. É o caso de “3am” e “nightmare”. Todavia, aqui, Halsey consegue entregar algo bem mais interessante, usando o estilo musical, principalmente nas faixas “You Asked For This” e “Honey”, as quais mostram da forma mais crua o lado rockeira da cantora.

Esse disco foi lançado num momento muito importante para Halsey, a sua maternidade, algo que parece refletir um pouco em algumas faixas. Segundo ela, o álbum representa as alegrias e horrores da gravidez e do parto. E isso é retratado muito bem em “Darling”, que diz, “Foolish men have tried / But only you have shown me how to love bein’ alive”, e em “Ya’aburnee”, em que Halsey canta, “And if we don’t live forever / Maybe one day we’ll trade places / Darling, you will bury me before I bury you”. Isso mostra um amadurecimento em suas composições líricas, já que em seus primeiros trabalhos, mesmo que tentasse cantar sobre assuntos interessantes, quase sempre a abordagem destes soavam rasas. Porém, aqui a artista consegue abordar temas, os quais ela quer falar de forma muito mais bem feita. 

Além disso, a produção do disco também é algo visivelmente aperfeiçoado comparado a seus projetos anteriores. Isso se dá principalmente, pelos artistas envolvidos nela, Trent Reznor e Atticus Ross. Uma das musicas que mais se destacam é a excelente “Easier Than Lying”, com a sua produção abusando de riffs de guitarras e de batidas frenéticas. Mas, ainda que, em grande parte do álbum, a produção seja recheada de elementos interessantes, algumas faixas poderiam ser mais bem produzidas. Um exemplo disso é “Darling”,que, apesar de acertar bastante na composição lírica, parece que, em termos de produção, não tiveram o mesmo capricho das letras. A canção não é mal feita, mas ao mesmo tempo não há muita coisa nela que desperte um grande interesse.

Halsey nunca foi uma artista com grandiosos álbuns. Apesar de ter melhorado gradativamente seu repertório, seus discos eram apenas decentes. Mas If I Can’t Have Love, I Want Power nos mostra um amadurecimento de Ashley, a qual entrega aqui algo de qualidade, bem acima do nível dos seus trabalhos anteriores.