SOUNDX

Ariana Grande para Eternal Sunshine
/

Ariana Grande em 7 Músicas

Em comemoração ao lançamento de eternal sunshine, listamos 7 músicas que definem a carreira de Ariana Grande para além do rabo de cavalo.
POR SoundX Staff
março 8, 2024

De atriz teen à diva pop de escala global, Ariana Grande possui uma bagagem extensa na indústria do entretenimento. Nos últimos dez anos, ela construiu um legado indiscutível na música: com um penteado marcante, um alcance vocal invejável e, claro, inúmeras polêmicas, Grande se firmou como uma das maiores vozes da atualidade, dona de uma discografia consistente que explora diferentes ângulos da vida de uma popstar do século XXI por uma ótica pessoal e vulnerável.

É por isso que, em comemoração ao lançamento do seu sétimo álbum de estúdio, eternal sunshine, decidimos reunir, nesta lista, 7 músicas que definiram a trajetória de Ariana até aqui, para além dos atributos que constituem a sua persona.

“Honeymoon Avenue”

(2013)

A faixa de abertura do primeiro disco de Ariana Grande é um épico que narra os entraves de um relacionamento preso em um cruzamento sem saída. “Honeymoon Avenue” embala o sentimento angustiante de querer voltar à fase inicial de uma relação, quando tudo é novo e excitante, em uma produção que funde pop e R&B com um toque orquestral clássico — algo que, mais tarde, se tornaria marca registrada da cantora. Aqui, no entanto, nos deparamos com os primeiros passos para a formação de uma identidade que, ainda que com referências claras e espaço para amadurecimento, já mostrava-se assertiva e relevante. — Marcelo Henrique

“Break Free”

(2014)

Um hit pop é como uma joia: paradoxalmente é fruto de estéticas de sua época e feito para durar pra sempre. Nesse entrave, “Break Free” emana profundamente o ano de seu lançamento, e ainda assim é construído com base numa atmosfera expansiva, altiva, gigante. É memorável, evoca de nostalgias e felicidade tremendas, apoiado nos vocais maximalistas de Ariana, que junto ao instrumental triunfante de Zedd lapida no produto final discutivelmente a maior das joias na discografia de Ariana Grande. E, a depender de suas qualidades, será eterna. — Pedro Piazza

"Into You"

(2016)

Considerada por muitos como a melhor música do Dangerous Woman, “Into You” é um hino pop atemporal. A faixa, uma das colaborações mais inspiradas entre Ariana Grande e o produtor Max Martin, transmite perfeitamente a estrela em ascensão que a artista era em seu terceiro álbum de estúdio, além de servir como um prólogo para a potência que a artista se tornaria em lançamentos posteriores, os aclamados Sweetener e thank u, next. A faixa é a prova de que Ariana sabe como ninguém as regras do jogo e é capaz de dar voz a clássicos contemporâneos da música pop. É a artista em sua versão mais perspicaz. — Lucas Souza

"no tears left to cry"

(2018)

Somente uma música tão singular, confiante e inspirada poderia servir como carro-chefe de Sweetener, até então o melhor álbum de Ariana Grande. “no tears left to cry” é uma das canções pop mais certeiras da última década, e a melhor resposta possível aos lamentáveis acontecimentos que tiraram a artista de seu eixo em 2017. Trata-se de um divisor de águas na carreira de Ariana, que a partir do lançamento em questão passou a imprimir cada vez mais a sua essência artística em seus trabalhos. — Lucas Souza

"breathin"

(2018)

Em “breathin”, Ariana expõe sua luta contra a ansiedade a partir de uma lírica sensacional que consegue apresentar toda a emoção da artista com relação a sua saúde mental. Essa é uma das peças de sua discografia em que ela melhor manifesta as adversidades vividas devido aos seus problemas psicológicos. Isso, acompanhado da performance apaixonante de Ariana Grande durante a canção e a produção com o synthpop doce, torna esse um dos momentos mais fenomenais da carreira da cantora. — Davi Bittencourt

"get well soon"

(2018)

Na emocionante faixa final de seu aclamado álbum Sweetener, intitulada “get well soon”, Ariana Grande assume o papel de uma terapeuta musical, oferecendo conforto e apoio aos ouvintes durante os momentos mais desafiadores da vida. A estrutura única desta música combina vocais angelicais e melodias cativantes, criando uma experiência auditiva profundamente envolvente. Para muitos fãs de Ariana, a canção se tornou um bálsamo durante os períodos de ansiedade, proporcionando um alívio reconfortante. Além disso, Ariana inclui uma referência sutil ao tempo de duração da música, 5:22, marcando assim a data do trágico atentado em Manchester. Essa integração não apenas enriquece a profundidade da faixa “get well soon”, mas também a transforma numa mensagem de inspiração e resistência, tornando-a uma das faixas mais importantes na carreira de Ariana Grande. — Gerson Monteiro

"thank u, next"

(2018)

Lançado de surpresa num sábado à noite, o primeiro single de Ariana Grande a alcançar o topo dos charts norte-americanos transforma sofrimento em gratidão. “thank u, next”, apesar do que o título pode sugerir, não busca ser uma resposta irônica e afiada ao término de um relacionamento, na verdade, é um agradecimento honesto. Ao citar o nome de seus ex-namorados no primeiro verso da música, Ariana reconhece que as experiências tidas com cada um deles moldaram quem ela é hoje e, acima de tudo, foram essenciais para a descoberta do amor próprio: “I’ve loved and I’ve lost / But that’s not what I see / ‘Cause look what I’ve found / Ain’t no need for searching” — se, em “Honeymoon Avenue”, ela queria voltar atrás, à procura de um sentimento que a preenchesse por completo, aqui ela percebe que ele sempre esteve presente em si. É um amadurecimento transmitido por meio de uma vulnerabilidade incomum no universo da música pop; uma mensagem genuína e essencialmente relacionável. — Marcelo Henrique

plugins premium WordPress