“Prada/Rakata”
2021 • EXPERIMENTAL • XL
POR KAIQUE VELOSO; 04 de NOVEMBRO de 2021

Avaliação: 4.5 de 5.
MELHOR LANÇAMENTO

O lançamento do lead single de KiCk ii, “Born Yesterday”, com participação da cantora Sia, foi não só uma enorme surpresa, mas também um balde de água fria em quem aguardava ansioso pelos próximos projetos de Arca. Depois da notória mudança entre a melancolia de seu autointitulado para as enérgicas faixas de KiCk i, marcado pelas roupagens deconstructed club, pop e reggaeton experimentais, receber algo que soa como um descarte de Sia — sob instrumental repicado e inconclusivo de Ghersi — foi, no mínimo, desapontador. Felizmente, as novas prévias apresentadas apontam para outra direção.

Nesse sentido, ambas as faixas se destacam. Analogamente a “KLK”, “Prada” e “Rakata” possuem a capacidade de, com sua batida cíclica e hipnotizante, conduzir o ouvinte em um caminho infinito, impossível de deixá-lo. As duas são definidas pela cantora como modos de desafiar o pudor em algumas de suas formas, seja em relação à transgeneridade e aos processos individuais que envolvem pessoas de gênero não-conforme, seja em relação ao sexo como “impulso da vida diante da morte”. Não é, certamente, a primeira vez que ela trabalha o tema da sexualidade, quiçá será a última, pois, em todos os momentos nos quais o assunto é abordado, o resultado é o mais característico da personalidade de Arca: exagerado, afrontoso, perturbador, intrigante e, em última instância, divertido. Enfim, Alejandra Ghersi reafirma-se na música eletrônica e mostra, com exemplos, como se fazem hits que rompam as fronteiras da normalidade e do comum.